Geohelmintoses

Cartilha Sobre as Geohelmintoses

Esta cartilha é fruto de um trabalho compartilhado pela equipe multidisciplinar do Laboratório de Educação em Saúde (LABES), do Laboratório de Esquistossomose (LESQ) e Laboratório de Helmintoses Intestinais (LAHEI) do Centro de Pesquisa René Rachou, Fiocruz Minas. Foi motivada pela demanda dos profissionais da área de saúde e professores com quem trabalhamos em algumas escolas e comunidades.
Trata-se de uma abordagem em linguagem simples e com imagens que poderão ser utilizadas pelos profissionais com a população. As escalas nas imagens dão as dimensões de aumento, o que deve ser ressaltado com a população para evitar fantasias e distorção da representação dos parasitos e vetores. Além dos aspectos biomédicos da verminose, é fundamental discutir os aspectos sociais envolvidos em sua transmissão e manutenção. Sabemos que as verminoses são doenças relacionadas ao modelo de desenvolvimento socioeconômico e político adotado no Brasil, que gerou profundas desigualdades sociais, baixa escolarização e prejuízos ambientais, aspectos que agravam a transmissão e permanência dessas parasitoses.
É importante que esta cartilha seja um estímulo para encontros educativos nos quais o saber popular seja compartilhado com o conhecimento científico, em um diálogo que acreditamos ser necessário e permanente, o qual deve transcender a informação e levar à reflexão.
Esperamos que esta cartilha siga uma trajetória bem sucedida, e se multiplique para alcançar muitos outros leitores, estimulando além de ações de prevenção de doenças e de promoção da saúde, maior envolvimento na luta por um país melhor, mais justo e onde haja um lugar digno para todos.

 

 

 
Voltar ao topo